CinemaXunga

Desde 24 de Junho de 2003

Tag: curiosidade

Roar (1981) – Quando o cinema é um número de circo

roar1

Filmes há que não valem um pisso, mas que transportam consigo toda uma aura de freakshow ambulante, capaz de os catapultar para a história da sétima arte nos capítulos da bizarria. A extraordinária incredulidade estará em perceber como tal extravagante lavagante  pode ser alguma vez projectado num ecrã de cinema. Pior, como é que no processo alguém idealizou, aprovou e efectivou tal obra. Hoje é uma dessas singulares ocorrências que aqui vos trago. Roar é o brainchild da actriz de The Birds (Tippi Hedren) com o produtor de Exorcist (Noel Marshall). Ora, depois de uma viagem por África, em comunhão com a natureza no espírito dos 60s, apenas as ervas não estavam a salvo deste voraz casal que se apaixonou por uma moradia colonial abandonada no interior de Moçambique. Nesse casebre abandonado por portugueses que haviam já consumido a sua zona de influência morava agora um família de leões. Faziam daquelas luxuriantes ruínas o seu lar. Consumidos pelas drogas que lhes inseminavam o cérebro de conceitos de elevada abstracção, estas alminhas sonharam fazer um filme em que uma família normal, com as suas tropelias do destino e as suas rotinas mundanas, partilhavam o lar com 100 animais selvagens. Seria a estreia de Noel na realização, um conjunto de actores de renome com 100 animais selvagens não domesticados. Leões, tigres, panteras, jacarés, elefantes… Enfim, nada que pudesse à primeira vista correr mal.

Continue reading

Separados à nascença

separados

Don't shoot me, shoot him! I'm the real Bardem.

Um dia destes a minha esposa chamou-me a atenção para o facto do Javier Bardem ter participado nalguns episódios de Grey’s Anatomy (aquela versão sem a Sasha Grey). Eu disse “Nah… Nem pensar!”. Ela insistiu e eu fui pesquisar a sua filmografia e nada… Até que percebi que há um gajo que entrou no Grey’s Anatomy que é um clone do Javier Bardem. Chama-se Jeffrey Dean Morgan e é um remake americano de Bardem. A sensação de o ver no Grey’s é como se tivessemos sido chupados para uma dimensão alternativa onde Javier Bardem fez más opções profissionais.

© 2019 CinemaXunga

Theme by Anders NorenUp ↑