CinemaXunga

Desde 24 de Junho de 2003

100volta (200?)

É certo que Portugal tem uma cultura de decepção e frustração no que diz respeito ao cinema. A cada novo ano parecem abrir-se novas dimensões de horrendo, surgindo produtos de inimaginável mau gosto, mesmo para as mentes mais retorcidas. Desta vez temos um filme amador, com toda uma estrutura, narrativa e produção de proporções anedóticas, um festival de ridículo que se leva tão a sério que facilmente pulamos de uma situação de escárnio para sentimentos de compaixão pelas mães daquelas pessoas, que almejaram um futuro honroso para os filhos e isto foi o que decidiram fazer da vida. Rejubilai então  azeiteiros de Portugal. Labregos do tuning, parolos das centralinas, fatelas dos ailerons, barrascos do rally e da pala do boné branco para trás, a resposta às vossas preces chegou. Um filme de carros, com tiros, porrada e gajas boas a serem vilipendiadas à lei da vara carnuda (leia-se “foder” em linguagem de burgesso).

Já tinha falado neste filme quando saiu o trailer e foi anunciado que sairia para as salas de cinema. Na altura fui fortemente criticado por falar mal sem ver o filme. Mas o certo é que basta ver o trailer para perceber estamos perante um fétido jarrinho de micção. Eu não vi o filme todo e penso que não haverá alma não azeiteira que aguente mais de 20 minutos. A cena inicial é suficiente para perceber a desolação cinematográfica que se apresenta perante a nossa infeliz presença.

Na perspectiva do realizador (que também é actor principal), para fazer um bom filme que apele à massa cinéfila temos que ter os seguintes ingredientes: carros, perseguições despistes, tiroteios, porrada de três em pipa, gajas de armas, sexo (também conhecida como “foda”), gajas semi nuas e nuas, piadas com minis (leia-se o formato de engarrafamento de cerveja e não a namorada do mickey nem o modelo da Morris), musica techno e o incontornável guião de intriga internacional que encerra mistérios dignos do Sargento Saraiva.

Resta-me ainda demonstrar a minha mais profunda repugnância sob a forma de um farto vómito acerca do apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual. Sim, o dinheiro que é de todos nós, daquela gorda fatia de ordenado que os estado nos mama em impostos mensalmente, o IVA que todos pagamos diariamente, passando por toda uma miríade de subterfúgios indecentes para nos sacar o dinheiro sob a forma dos mais improváveis formatos de imposto. Esse mesmo dinheiro que nos faz tanta falta e que acreditamos secretamente possa ser usado para nos tirar desta crise, é usado para promover este sucedâneo de entretenimento, este esgoto a céu aberto que alguém algum dia confundiu com cinema.

10 Comments

  1. Ah! Pedro, só me aguçaste a curiosidade para ver este “objecto” para depois lhe poder malhar com propriedade! Como é que o viste? Clube de video?

  2. Torresmos…

  3. Torresmos? Boa escolha, mas já encontrei noutro local ;-9

  4. opa, eu também ouvi falar deste filme para aí há um ano, mas nunca veio para cinema e acho que nem em dvd saiu…até escrevi no blogue sobre isso na altura : http://cinemaschallenge.blogspot.com/search?q=100+volta

  5. O dinheiro não foi todo do ICA. Dois dos patrocinadores eram casas de strip. A sério. Tenho a teoria de que as miúdas que aparecem nas cenas de eish-que-queca-azeiteira-mais-mal-feita eram parte integrante desse… patrocínio. De resto, obra-prima dos erros de raccord, da iluminação deficiente e do simples amadorismo obtuso. Recomendo vivamente!

  6. Ah e Andreia. Esteve no cinema. É incrível, eu sei, mas esteve. Pior: o ICA adiantou que é o 40º filme português com maior box-office, entre 2004 e 2010.

  7. Inspirado neste belo texto, expus-me a esta obra prima e aproveitei-a para iniciar uma nova rubrica que já planeava hà meses: Chungaria Extreme! Não escrevo tão bem com o Pedro, mas dêem lá um salto e deixem comentários e sugestões: http://cine31.blogspot.com/2010/07/chungaria-extreme-1-100-volta.html Brevemente, alguns filmes indianos!!

  8. Louva aos céus por não te terem apresentado esse baldinho de exsudado purulento em 3D…

  9. Miguel Oliveira

    July 30, 2010 at 12:32 pm

    Apesar de não ser “azeiteiro” e de não gostar da cultura dos alerons devo dizer que a muito custo vi o filme até ao fim! Devo ter demorado à volta de 2 dias para o conseguir, adormeci sempre ao tentar vê-lo por causa da emoção que transmitia o seu enredo.
    É tão simplesmente um dos piores filmes que já vi…

  10. uma das cabras que aparece no filme foi minha colega de turma…

    ..vou agora enterrar-me em merda para esconder a vergonha…

Leave a Reply

© 2019 CinemaXunga

Theme by Anders NorenUp ↑

%d bloggers like this: