Desde 24 de Junho de 2003

Fanboys (2008)

fanboysNos finais de 1998, primeiros meses de 1999, o mundo cinéfilo viveu uma época de expectativa nunca antes vista e, a bem dizer, nunca depois vista. Foi o tempo que antecedeu a estreia de “The Phantom Menace”, primeiro capítulo da prequela de Star Wars. Na altura da estreia do primeiro trailer, salas inteiras esgotavam para ver o trailer e 95% das pessoas saiam antes do filme. Foram tempos loucos, pior ainda para fãs tugas que tiveram que esperar pelo Natal. Na altura já havia Internet e banda larga. O fanboys portugueses já todos tinham visto o filme. Eu incluído. E que bela merda nos saiu na rifa…

É nesta época que se passa Fanboys. Um grupo de fans hardcore de Star Wars deseja ser congelado em criogénio para o tempo passar mais depressa. Mas um deles está a morrer de cancro e não sobrevive para chegar à estreia. Daí que se inicie uma road trip de contornos épicos para assaltar o Skywalker Ranch e aceder a uma cópia de pré-produção do filme. Mas o lado negro da força, um grupo de trekkies liderado por Seth Rohan e doses industriais de geekness e imbecilidade em geral metem-se à frente do objectivo final.

Obviamente que ninguém pode ver um filme destes sem ser fã de Star Wars (e Star Trek, diga-se) ou pelo menos perceber as referências que chegam às dezenas por minuto. Um tipo de humor que faz sentido dentro do contexto. Quem não percebe da poda bem pode carregar no stop e ir até à taberna jogar uma bisca lambida. Mas nos tempos que correm é inegável a influência de Star Wars na cultura popular, e mesmo quem não viu nenhum Star Wars já percebe piadas que envolvam o lado negro da força, estrelas da morte ou a frase “Luke, I am your father“. Frase essa que nunca foi dita no filme. A frase verdadeira é “No, I am your father“. Um bocado óbvio, tendo em conta que Vader é Pai em Holandês.

É um filme interessante, cheio de Easter Eggs para fans. Eu temia que a questão do puto com cancro desembocasse num churrilho sentimental de choradeira e balofices emocionais, mas até que nem se fala nisso. Não é o filme da minha vida, nem de perto, mas é uma óptima maneira de passar 90 minutos.

1 Comment

  1. Bruno

    =\
    este filme é uma merda…

Leave a Reply

© 2021 CinemaXunga

Theme by Anders NorenUp ↑

%d bloggers like this: